Mídia SC 2012

29 de outubro de 2012

por

Chegou ao fim mais uma edição do Mídia SC – encontro dos profissionais de Mídia de Santa Catarina – que aconteceu nos dias 25 e 26 de outubro, em Florianópolis. A Seven realizou pelo Facebook uma cobertura exclusiva durante o evento, mas se você perdeu, não se preocupe. Aqui vai um apanhado de todos os melhores momentos.

25/10/2012

O empresário catarinense Luiz Alberto Ferla abriu o evento falando sobre a presença da internet na vida das pessoas e como o mercado publicitário se relaciona com essa realidade. Lembrou que o Brasil tem atualmente, mais de 84 milhões de pessoas conectadas à internet, e que a projeção é de que em 2014, o acesso mobile ultrapasse o acesso em casa ou no trabalho. Ferla elencou como os principais motivos pelos quais as pessoas ficam conectadas, conversar com familiares, entretenimento, relacionar-se (criar novas amizades) e estabelecer conexões de trabalho; e destacou que, em 2016, a internet deverá superar a TV como mídia para investimento publicitário no mundo.

Luiz Alberto Ferla

“Todas essas mudanças são uma revolução. E uma revolução para a mídia.”.

____

Maurício Kotait, vice-presidente de Ad Sales da Sony Pictures Television (SPT) no Brasil, comentou que a qualidade da programação e dos anúncios na TV por assinatura está cada vez maior, principalmente em função da briga pela audiência.

“Se uma programação obtém uma grande audiência, desperta grande curiosidade no público,  é ali que o cliente deve tentar posicionar sua marca”.

____

De acordo com o diretor geral da Enter-Entertainment & Experience, empresa do grupo Bandeirantes de Comunicação, Caio Carvalho, estima-se que, em 2008, R$ 381,3 bilhões foram movimentados nesse setor, ou seja, 16% do PIB (Produto Interno Bruto). Segundo ele, os eventos são importantes plataformas de comunicação entre empresas e consumidores, e já não é mais necessário que estejam ligados à mídia tradicional de rádio e TV.

“As empresas estão migrando para os eventos não apenas pelo retorno de exposição de suas marcas, mas também pela experiência que proporcionam aos consumidores”.

____

O gerente de mídia da agência DM9 e vencedor do Young Lions Brasil na categoria Contacts, Felipe Snege, destacou que “tudo é mídia”, e a ideia é buscar pontos de conexão com o consumidor através dos diversos meios de comunicação, de acordo com o resultado que se pretende obter e, principalmente, com uma boa análise do público e da região do país.

Felipe Snege

“Uma boa ideia pode vir de qualquer lugar. A nova abordagem publicitária precisa experimentar novos formatos, monitorar, aprender, refinar e evoluir”.

____

26/10/2012

Marcelo Lobianco, diretor de marketing e publicidade do portal iG, apresentou dados a respeito do surgimento da internet no Brasil e no mundo, e em seguida, traçou um diagnóstico da evolução dos meios digitais e do comportamento de diversos públicos e seus interesses na utilização dos serviços. Falou também sobre as influências das recentes mudanças em variados ramos de negócios, e em como é inútil tentar lutar contra essas transformações. Segundo ele, “nesses momentos de mudanças, o desafio é entender o impacto disso e como inserir essas novidades no seu negócio.”.

Lobianco

“O surgimento da internet representa a maior mudança cultural e social dos últimos tempos. E é também a mais dramática, pois ainda não temos claros os seus desdobramentos”.

____

Frederico Nogueira, vice-presidente do Grupo Bandeirantes de Comunicação, abordou a importância dos investimentos em mídia Out of Home – ou seja, telas digitais estrategicamente instaladas em pontos de grande movimentação e com prolongados momentos de espera forçada, como é o caso do transporte público. Em São Paulo, por exemplo, essa mídia atinge diariamente 12 milhões de pessoas, sendo que a população da cidade é de 17 mihões.

“A linguagem para essa mídia tem que ser diferenciada. Segundo pesquisas, as pessoas são mais impactadas neste meio através de textos curtos do que por áudio, já que normalmente enquanto aguardam, estão falando ao celular, ouvindo música ou conversando.”

____

A jornalista Mariangela Ribeiro,  diretora do GPR (Grupo dos Profissionais do Rádio e Coordenadora de Inteligência de Mercado do Sistema Globo de Rádio) abordou os temas “quem, quando, como e o porque no consumo de mídia”, “cenário x consumo” e “as gerações e as tendências mundiais de consumo”. Através destes três tópicos, Mariangela mostrou que é preciso fugir dos paradigmas e dos conceitos pré-estabelecidos, tendo a percepção de que dentro de um só target existem diversos gostos e comportamentos.

Mariangela

“Temos uma mania de achar que sabemos o que as pessoas querem consumir e esquecemos que nós (profissionais da comunicação) também somos consumidores”.

____

Para encerrar as palestras, Rafael Sampaio, vice-presidente  executivo da ABA (Associação Brasileira de Anunciantes)  e membro titular do Comitê Executivo da WFA (Federação Mundial de Anunciantes) falou sobre a grande revolução da mídia nos últimos anos, mostrando que não há mais fórmulas prontas, e que hoje tudo pode ser mídia. Em função disso, as estratégias de mídia tendem a ser o maior desafio. Até mesmo maior que a ideia criativa.

“A TV não morreu e não vai morrer. Ela vai se multiplicar cada vez mais, de várias maneiras, interativa. Nas próximas décadas, a coisa mais importante na internet será o vídeo. A televisão continuará com tudo e se multiplicando em várias telas”.

____

Deixe uma resposta

VOLTAR