Foca no social

7 de novembro de 2012

por

Social way

O editorial da Meio & Mensagem nº 1.534, que saiu essa semana, aborda a importância das marcas pensarem em uma dimensão maior do que vender produtos e criarem estratégias que foquem as demandas da sociedade. Perfeito, lindo, e extremamente motivador para publicitários que compactuam com esse raciocínio. Parece muito óbvio, até porque as referências de marcas que o fazem são diversas.

A Pepsi, por exemplo, investe na cultura, com casas de shows movimentadíssimas e extremamente atraentes em cidades como Amsterdã, e… Porto Alegre! O Pepsi on Stage gaúcho é uma das casas mais atuantes do sul do Brasil, e sacia a sede (desculpe, foi inevitável) que os sul-rio-grandenses e muitos catarinenses têm de assistir a grandes espetáculos. O Santander é mais um exemplo: investe forte no Rio, patrocinando o futuro Museu do Amanhã e o Rio Praia Maravilhosa. O Itaú está presente nos projetos de locação de bicicleta Bike Sampa e Bike Rio. E a Sul América lançou há alguns anos a Rádio SulAmérica Trânsito, que traz somente notícias 24h sobre o complicado tráfego na capital paulista.

Mas não precisa ir muito longe pra descobrir estes exemplos. Por aqui mesmo, temos o belo Museu Hering (Rua Hermann Hering, 1740 – Bom Retiro, Blumenau), que resgata a história da marca dos peixinhos, história de inovação e superação, que se mistura à da própria cidade.

museu da hering

museu da hering

Museu Hering

E, mais próximo ainda, temos o exemplo da Seven e de seu cliente Galegão Supermercados que, juntos e totalmente alinhados à missão da empresa, desenvolveram o Panetone do Bem. Uma ação que, além de criação de produto, envolve propaganda, marketing direto, endomarketing, comunicação no PDV, relações públicas, merchandising e muita responsabilidade social, já que o Galegão destina todo o lucro da venda de seus panetones para asilos da cidade. Ao longo das duas primeiras edições, mais de R$ 30 mil foram destinados aos idosos das instituições beneficiadas. Em 2012 a campanha chega a sua 3ª edição com uma meta ainda mais ousada: vender 25 mil panetones!

Panetone do Bem

Como dá para perceber, pensar a cidade e seus moradores não é responsabilidade restrita ao poder público. Investir no social é bom pra todo mundo – cidade, pessoas e marcas. Infelizmente, sabemos que nem sempre é algo assim tão claro dentro das empresas, muitas vezes mergulhadas em resultados “pra ontem”, e em arrochos de verba que trazem resultados nefastos lá na frente.

Este texto é uma contribuição do Seveniano Juliano Tejada, Diretor de Criação.

Deixe uma resposta

VOLTAR